Comissão que investiga SMT retorna os trabalhos nesta segunda-feira

por Jô Almeida publicado 11/08/2017 14h25, última modificação 11/08/2017 14h46

A Comissão Especial de Inquérito (CEI) que apura irregularidades na Secretaria Municipal de Trânsito (SMT) retoma os trabalhos na próxima segunda-feira, 14, a partir das 08h30 na sala de comissões da Câmara Municipal. O próximo passo é investigar os contratos firmados entre a secretaria e a empresa Dataprom, responsável pela venda e manutenção dos controladores de semáforos na capital, desde 2007. “O Município hoje é refém da Dataprom. Comprou cada sincronizador por cerca de R$15 mil e os equipamentos só funcionam com o software da empresa. É um absurdo”, explica o presidente da CEI, vereador Elias Vaz (PSB).

Segundo o vereador, há indícios de irregularidades na aquisição e manutenção de controladores de semáforo que foram adquiridos sem processo licitatório. A prefeitura alegou inexigibilidade para justificar a dispensa da licitação. “Este não é o caso. Existem várias empresas que detém equipamentos semelhantes à Dataprom”, ressalta Elias.

Os controladores de semáforos são os equipamentos que permitem a abertura e fechamento dos semáforos, sincronismo e as chamadas “ondas verdes”, que fazem com que vários cruzamentos sejam abertos ao mesmo tempo agilizando o trânsito em avenidas que o fluxo é contínuo.

Em fevereiro deste ano a empresa chegou a suspender o serviço de sincronização de semáforos em Goiânia por falta de pagamento, o que gerou muito transtorno no trânsito. “Não podemos ficar nas mãos de nenhuma empresa. O serviço tem que ser mantido pela qualidade técnica e os editais precisam ser cumpridos à risca”, conclui Elias Vaz.

Na reunião os membros da CEI – além de Elias, a Comissão é composta pelos vereadores Anderson Sales Bokão (PSDC), Welington Peixoto (PMDB), Izídio Alves (PR), Cabo Senna (PRP), Delegado Eduardo do Prado (PV) e Lucas Kitão (PSC) - vão deliberar sobre a convocação de ex-secretários que assinaram os contratos com a Dataprom entre 2007 e 2013, servidores da SMT e proprietários da empresa.  

Com informações da assessoria de imprensa de Elias Vaz