Você está aqui: Página Inicial / Sala de Imprensa / Notícias / Andrey Azeredo fala sobre Saúde e investimentos na prestação de contas do prefeito Iris Rezende

Andrey Azeredo fala sobre Saúde e investimentos na prestação de contas do prefeito Iris Rezende

por Marcos Teixeira Wanderley publicado 20/02/2018 08h45, última modificação 20/02/2018 09h19

O vereador Andrey Azeredo (MDB), presidente da Câmara Municipal de Goiânia, acompanhou, na manhã desta segunda-feira, 19, no Plenário da Casa, a prestação de contas do terceiro quadrimestre da gestão do prefeito Iris Rezende (MDB). A Sessão foi coordenada pelo vereador Lucas Kitão (PSL), presidente da Comissão Mista, e teve a participação da maioria dos parlamentares e dos secretários municipais. Em seus questionamentos ao chefe do Executivo Municipal, Andrey tratou de temas como Saúde, planejamento financeiro, investimentos na cidade e o Imposto Sobre Serviços (ISS) e falou à imprensa em entrevista coletiva concedida durante o evento. 

 

Em sua fala durante a prestação de contas, Andrey solicitou à secretária municipal de Saúde, Fátima Mrué, que encaminhe à Câmara a relação das Casas de Apoio dos municípios do interior do estado sediadas em Goiânia e que ainda não fizeram pactuação com a Capital para a prestação de serviços na área. “Precisamos desses dados para que nós possamos, de fato, tratar a questão da Saúde em nossa cidade de forma mais responsável e abrangente. Não dá para analisar apenas Goiânia e nos esquecermos dos municípios interioranos que a usam como destino final. São mais de 4 milhões de cartões SUS credenciados para uma população de um milhão e meio de habitantes. Receberemos os pacientes do interior, mas queremos, primeiramente, que sejam pactuadas as relações entre os dois municípios, de origem e aqui”, defendeu. Iris confirmou a situação exposta por Andrey e afirmou que muitos municípios delegam a Goiânia o atendimento de seus moradores e não repassam a devida verba do Ministério da Saúde (MS) para a Capital. Segundo o prefeito, já foram investidos na pasta 1 bilhão de reais em 2017, 5% a mais do que o percentual constitucional mínimo exigido para o setor, que é de 15% da receita do município. 

 

Andrey também questionou o secretário municipal de Finanças, Alessandro Melo, sobre a queda da arrecadação do ISS: “Isso me preocupa bastante. Quais são as ações efetivas para incremento do ISS em 2018 e o que foi feito em 2017, uma vez que esse imposto responde pela maior parte da arrecadação própria? Nós cobramos muitos investimentos, mas sem recurso não é possível. Em 2017 muitas coisas foram feitas mas houve uma redução significativa de 44% nos investimentos em nossa cidade.” O prefeito respondeu ao vereador que a gestão tem feito esforços para conter gastos na medida do possível, lembrou que quando assumiu o cargo encontrou todas as obras paralisadas porque a Prefeitura não pagava as contrapartidas e que aquelas com recursos próprios foram paralisadas pelas empresas contratadas. “Havia dívidas de 600 e tantos milhões só com prestadores de serviços e isso não se contorna de uma hora para outra, principalmente com a situação financeira confusa e complexa na qual vive o País,” afirmou Iris. O secretário de Finanças disse que a arrecadação do ISS em 2017 sofreu uma queda de 0,78% em relação ao ano de 2016 devido à antecipação de receitas feita em dezembro daquele ano, mas que o resultado primário (diferença entre receitas e despesas primárias do período, excluído o pagamento de juros) foi superavitário, fechando em R$ 101,9 milhões. Alessandro Melo relatou que a Prefeitura está atuando em parceria com a Delegacia Estadual de Combate a Crimes contra a Ordem Tributária e investindo em tecnologia para coibir a sonegação de impostos.

 Com informações da assessoria de imprensa da Presidência

registrado em: