Você está aqui: Página Inicial / Sala de Imprensa / Notícias / Presidente da Câmara participa da abertura da 11ª Semana da Justiça pela Paz em Casa

Presidente da Câmara participa da abertura da 11ª Semana da Justiça pela Paz em Casa

por Marcos Teixeira Wanderley publicado 17/08/2018 20h05, última modificação 20/08/2018 16h22

O presidente da Câmara Municipal, vereador Andrey Azeredo (MDB), participará, como palestrante convidado, na próxima segunda-feira, 20 de agosto, às 9h, no mezanino da Universidade Salgado de Oliveira (Universo), no Setor Sul, da cerimônia de abertura da 11ª Semana Nacional da Justiça Pela Paz em Casa. Ao longo da evento, até o próximo dia 24, estão previstas mais de 1.000 audiências relativas à violência de gênero em processos referentes à Lei Maria da Penha, sendo 200 delas só em Goiânia.

Andrey Azeredo será o primeiro palestrante e falará, às 9h, como presidente do Legislativo Municipal e idealizador da campanha "Não Vai Ter Psiu!" de combate ao assédio e valorização da mulher, sobre “As raízes do feminicídio e a importância da conscientização de meninos e homens”. Às 9h40, a delegada Ana Elisa Gomes Martins, da 1ª Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Goiânia (Deam) abordará a atuação do órgão no combate à violência de gênero, e, às 10h20, a promotora de Justiça em Goiás Emeliana Rezende de Souza, do 1º Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher da Comarca de Goiânia, ministrará a terceira palestra com o tema “Feminicídio”.

Mutirão de audiências e serviços

A mobilização foi criada em 2015 pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e é promovida em Goiás pela Coordenadoria Estadual da Mulher Em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça do Estado (TJ-GO), presidida pela desembargadora Sandra Regina Teodoro Reis. O objetivo do evento é o de concentrar esforços para a realização das audiências, debater os temas propostos para reforçar a conscientização e oferecer, gratuitamente, atendimentos psicológicos, jurídicos, de beleza e sessões de círculo reflexivo com o tema “Atenção a mulheres vítimas de violência”, dentre outros serviços.

Os atendimentos psicológicos poderão ser agendados no Núcleo de Psicologia Aplicada pelo telefone (62) 3238-3719 enquanto o agendamento jurídico poderá ser feito no Núcleo de Prática Jurídica pelo telefone (62) 3238-3714.
Os atendimentos serão realizados na própria universidade, por ordem de chegada ou por prévio agendamento, e abertos para mulheres, homens, idosos e crianças.

Evento diversificado e fundamental

O presidente Andrey ressalta a importância da Semana Nacional como uma ferramenta de divulgação de como o Judiciário pode atender às mulheres vítimas de violência doméstica e como “um grande mutirão de audiências e ações de apoio, fortalecimento das mulheres, conscientização de famílias e de apresentação das possibilidades de assistência que se estendem até aos agressores que frequentam os círculos restaurativos, que não promovem a impunidade e podem contribuir, em certos casos, para a recomposição familiar e a não reincidência no crime de violência doméstica.”

Números trágicos da violência

De acordo com dados divulgados pelo TJ, o Poder Judiciário goiano conta com 62,1 mil processos ligados à Lei Maria da Penha. Só em Goiânia, 12,8 mil processos de violência contra a mulher estão tramitando na Justiça. Segundo o último relatório divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o 11º Anuário, em novembro de 2017 Goiás alcançou a 8ª colocação entre os Estados mais violentos do País. Já o Ministério dos Direitos Humanos (MDH) publicou na última segunda-feira, 13 de agosto, o balanço do Ligue 180 (Central de Atendimento à Mulher) com dados de janeiro a julho de 2018. A central registrou 27 feminicídios, 51 homicídios de mulheres, 547 tentativas de feminicídios e 118 tentativas de homicídios. O órgão informou, ainda, que foram relatados 79.661 casos de violência contra mulheres em todo o País.

Em Goiás, a Secretaria de Segurança Pública relatou que, de janeiro a julho deste ano, foram registrados 15 feminicídios em todo o Estado. No mesmo período do ano passado, foram 13 casos, o que resulta num aumento de 15%. Em Goiânia, ocorreram quatro casos nos primeiros sete meses de 2018, número igual ao mesmo período de 2017. A Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) registrou 1.874 ocorrências de violência contra a mulher, de janeiro a julho deste ano.

A Deam também registrou, nesse período, 307 flagrantes, cumpriu 25 mandados de prisão e concedeu 559 medidas protetivas de urgência. Só no primeiro semestre de 2018, o Tribunal de Justiça do Estado de Goiás concedeu, até agora, 5.288 medidas protetivas a vítimas de violência de gênero em todo o Estado. Em 2017 foram concedidas 10.413.

Não Vai Ter Psiu!

Em 3 de junho de 2017 o presidente Andrey Azeredo formalizou uma parceria entre a campanha “Não Vai ter Psiu! Semeando a Paz” com o TJ - GO através da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar. A união foi selada com a desembargadora Sandra Regina Teodoro Reis e contou com o apoio do presidente do Tribunal, o desembargador Gilberto Marques Filho. No ano passado, duas edições de encontros da campanha, em junho e agosto, foram sediadas em unidades do Judiciário goiano, no TJ (Setor Oeste) e no Fórum Cível da Comarca de Goiânia (Park Lozandes), este último fazendo parte da 8ª Semana da Justiça Pela Paz em Casa e com o apoio da diretora do Foro, a juíza Maria Socorro de Sousa Afonso da Silva, que deu total respaldo à iniciativa.

 

Texto produzido pela assessora Polliana Martins

registrado em: