Aprovado projeto que propõe substituição das redes aéreas de energia elétrica

por Antonio Ribeiro dos Santos publicado 21/11/2019 12h30, última modificação 21/11/2019 12h27

A substituição gradativa das redes aéreas de distribuição de energia elétrica de baixa tensão, de telefonia, comunicação de dados via fibra óptica, televisão a cabo e outros cabeamentos por infraestrutura exclusivamente subterrânea foi aprovado na sessão de hoje (21) da Câmara, em última votação. O projeto, de autoria do vereador Álvaro da Universo, PV, será enviado para análise do prefeito Iris Rezende, MDB, para sanção ou veto.

Pelo projeto (085/2019) as obras de substituição do atual sistema deverão ser executadas dentro do prazo de seis anos, contados a partir da vigência da referida Lei. Também obriga a Prefeitura a apresentar os projetos de revitalização de vias públicas, calçadas às empresas que operam com fios e cabos aéreos com antecedência mínima de seis meses.

Outra regulamentação da proposta do vereador Álvaro da Universo é que as despesas relativas à substituição das redes aéreas por redes subterrâneas correrão por conta das empresas e concessionárias de energia elétrica, bem como de telefonia, comunicação de dados e das que fazem uso de redes aéreas. 

O projeto determina igualmente que novos projetos e expansões de cabos aéreos deverão ser subterrâneos. "Nos locais onde forem removidos os postes e torres atuais deverão ser plantadas árvores, regulamentadas pelo poder executivo", cita o vereador do PV.

JUSTIFICATIVA

Da tribuna da Câmara, Álvaro apresentou uma série de argumentos técnicos para justificar seu projeto e solicitar o apoio dos colegas. Diz ele:"Sabemos dos transtornos que os goianienses passam todos os anos no período chuvoso, quando vento e a força das águas derrubam galhos e até árvores por toda cidade, com prejuízos, cortes de energia, dentre outros problemas. Uma das causas de tais transtornos é a falta de cuidado com a poda das árvores porque é priorizado a manutenção da fiação elétrica. Daí os problemas".

O vereador cita igualmente o emaranhado exagerados de fios elétricos, de tv a cabo, telefonia, internet e tudo mais nos postes que deixam a cidade poluída visualmente. "Portanto, é importante começar essa despoluição e que começasse por bairros do centro e de campinas. Aliás, a substituição começaria nos chamados núcleos urbanos pioneiros de Goiânia, nos trechos das Avenidas Anhanguera e 24 de Outubro, num prazo de seis anos"

E concluiu: "Entendo que este é um grande avanço urbanístico para a nossa cidade".