Câmara derruba veto que dá nome de pai de Clécio Alves a praça

por Patrícia Drummond publicado 13/08/2019 16h16, última modificação 13/08/2019 16h16
Câmara derruba veto que dá nome de pai de Clécio Alves a praça

Foto: Alberto Maia

Por 24 votos a um, de abstenção, os vereadores da Câmara Municipal de Goiânia derrubaram na Sessão Plenária desta terça-feira (13/8), veto da Prefeitura a projeto de lei de autoria do vereador Welington Peixoto (MDB) que leva o nome do pai do vereador Clécio Alves (MDB), vice-presidente da Casa de Leis, a uma praça no Residencial Alphaville. Pela proposta, a praça em questão passa a ser denominada ´Antônio Deodato Alves´.

Na justificativa, Clécio se manifestou, em Plenário, contra o veto. Segundo ele, a homenagem prestada por Welington foi em atendimento a um pedido de seu filho, Luan Alves, atual superintendente da Ordem Pública da Prefeitura de Goiânia. “Esta praça leva o nome do meu pai, já falecido. Um projeto construído pelo meu filho Luan, juntamente com sua equipe, enquanto meu filho era ainda superintendente da Juventude Municipal. Meu pai era um homem honrado, mas infelizmente perdi aos meus cinco anos de idade. Ele foi brutalmente assassinado. Perdi a oportunidade de crescer ao lado de meu pai. Ele com certeza merece esta homenagem”, destacou.  

A construção do projeto foi demorada. Segundo Clécio, precisou de apoios importantes, como por exemplo, do atual presidente do Diretório Regional do MDB, Daniel Vilela, ex-deputado federal, que destinou R$ 500 mil para revitalização e construção da praça, numa área abandonada, no Jardim Alphaville. “Não entendo o porquê; não iniciaram a obra. O dinheiro já está nos cofres da Prefeitura.  Entendo que existem vetos necessários, mas quando os projetos possuem falhas técnicas, são inconstitucionais, sem legalidade. Mas um veto como este não tem explicação”, alegou.

Após declaração, um a um, os vereadores goianienses prestaram solidariedade ao colega Clécio Alves contra o veto do prefeito Iris Rezende à denominação da praça com o nome de seu pai. Por unanimidade, quórum absoluto, ocorreu a derrubada do veto. Somente o líder do prefeito, Oseias Varão (PSB), absteve seu voto, afirmando que “o local em questão não é uma praça”.

 

(Texto produzido pela Assessoria de Imprensa do vereador Clécio Alves)